Fit cultural no processo seletivo

Fit cultural no processo seletivo

Há alguns anos bastava ter um bom currículo para ser notado num processo seletivo e muito provavelmente ser selecionado, ou seja, se você tinha passado por boas escolas e feitos bons cursos ao longo de sua vida você seria um excelente candidato.

Mas, nos últimos anos as empresas concluíram que também é importante, ou mesmo crucial, que o candidato possua um certo conjunto de competências, ou soft skills, como trabalho em equipe, foco no cliente, visão estratégica etc.

Na prática cada empresa define as competências que mais valoriza e como diz o ditado: você pode ser contratado pelo seu currículo, mas ser demitido pelo seu comportamento!

Atualmente, um terceiro fator veio se juntar aos anteriores que é o chamado “fit cultural” que é saber se você naturalmente se encaixa na cultura da empresa, que pode ser, por exemplo mais orientada para resultado, ou focada no cliente, ou ainda, valorizar o trabalho em equipe. Isto significa que o “jeitão” geral da empresa traz uma ou várias destas características e é desejado que todos os que vierem a trabalhar nesta empresa tenham naturalmente estas características.

Para verificar se você tem fit cultural, você pode descobrir qual é a cultura desejada da empresa procurando em seu site a Missão, a Visão e, principalmente, seus Valores.

Veja se os valores da empresa batem com os seus, afinal de contas o processo de seleção é uma via de mão dupla.

O que significa isto é que tanto a empresa quanto o candidato devem buscar verificar se os valores da empresa “batem” com os valores do profissional. A seleção deve ser mútua.

Por exemplo, algumas pessoas são muito focadas em resultados e, certamente, gostariam de trabalhar em uma empresa com esta característica, mas para outras, a ênfase demasiada em resultado pode ser motivo de estresse.

Outra forma de verificar os valores da empresa na qual se está fazendo um processo seletivo é falar com pessoas que trabalham ou já trabalharam nesta empresa e procurar saber sobre sua real cultura. Nem sempre o que está publicado no site da empresa como sendo os “valores” é, de fato, o que acontece na prática.

Como diz Carolyn Taylor (Walking the Talk, 2005) “Um dos grandes mitos desta área é o de que a cultura de uma organização está intimamente relacionada à sua declaração de valores. A menos que a organização tenha trabalhado muito ativamente com seus valores, durante um período longo de tempo, a declaração de valores será apenas uma intenção. Uma boa intenção, e uma boa coisa de ter, mas quase certamente não descreverá a cultura tal como ela é”.

Em outras palavras, o que vale é o que acontece na prática e não no quadro pendurado na sala de reunião. É claro que nas boas empresas a declaração de valores é, de fato, o que acontece na prática, com alto grau de adesão dos colaboradores, pois a empresa trabalha muito conscientemente para implantar e comunicar seus valores.

Por outro lado, muitas empresas já possuem algum tipo de assessment para avaliar se seus candidatos têm aderência aos seus valores. Não existe um assessment padrão, sendo, portanto, bastante diferente para cada processo seletivo.

Mas, o que vale destacar, é que a avaliação dos valores dos candidatos para comparação com os da empresa, está se tornando uma prática comum nos processos seletivos mais modernos e mais rigorosos.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *