Definição e implementação do Programa de Wellness e Bem-Estar

Programa de Wellness e Bem-Estar

Conceber e gerir um programa de Wellness e Bem-Estar dos colaboradores é um passo importante na melhoria da saúde e produtividade dos colaboradores e na potencial melhoria do custo global dos cuidados de saúde prestados pelo empregador.

Os programas de bem-estar podem beneficiar os empregadores através de:
– Redução dos custos dos cuidados de saúde.
– Reduzindo o absentismo e presentismo.
– Maior produtividade dos colaboradores.
– Melhorar a moral e a lealdade dos empregados.


Na implementação de um programa de Wellness e Bem-Estar são 9 os passos que deveremos considerar
para garantir o seu sucesso:

  1. Avaliação Situacional.
  2. Obter o suporte da gestão.
  3. Criar do Comité de Wellness e Bem-Estar.
  4. Definir Objetivos.
  5. Definir Orçamento.
  6. Definir Componentes do programa de Wellness e Bem-Estar.
  7. Definir os Incentivos ou recompensas do Programa de Wellness e Bem-Estar.
  8. Comunicar o Programa de Wellness e Bem-Estar.
  9. Avaliar o sucesso do Programa de Wellness e Bem-Estar.

Passo 1: Avaliação Situacional

A obtenção de informação sobre a saúde mental dos colaboradores é um passo essencial no desenvolvimento e implementação de um programa de Wellness e Bem-Estar. Esta informação permitirá à organização conceber programas e serviços que sejam mais benéficos para ambos. Abaixo estão os passos e ferramentas sugeridos para obter esta informação:
– Realizar inquéritos aos colaboradores para avaliar os interesses e necessidades pessoais dos colaboradores. O levantamento direto dos colaboradores ajuda a avaliar o clima atual sobre como um programa pode ser recebido e que informações os colaboradores estão dispostos a partilhar.
– Realizar uma avaliação organizacional para determinar que tipos de programas de bem-estar oferecem.
– Realizar a avaliação motivacional e o engagement dos colaboradores. Permitirá a definição das ações adaptadas à cultura da organização.

Passo 2: Obter o suporte da gestão

O apoio da gestão é essencial para a definição e implementação de um programa de Wellness e BemEstar com sucesso. O engagement da gestão é fundamental para fins de financiamento, para obter apoio em toda a organização, e para a aprovação das políticas e processos relacionados com o programa.

A abordagem das três questões abaixo pode ajudar a obter o apoio necessário da gestão:
– Quais são as prioridades estratégicas a curto e longo prazo da organização? As organizações devem demonstrar como os programas de Wellness e Bem-Estar apoiam estes objetivos estratégicos.
– Que benefícios se pode esperar do programa de Wellness e Bem-Estar, e qual é o valor potencial da promoção do bem-estar à organização?
– Quais são os estilos de liderança, pressões, pontos fortes e fraquezas dos leaders da organização?
Estas respostas podem ajudar a determinar o método de apresentação.

Passo 3: Criar do Comité de Wellness e Bem-Estar

Após a realização de uma avaliação das necessidades e obtenção de apoio à gestão, a organização deverá criar uma comissão interna, orientada para os trabalhadores, que ajude a construir e sustentar uma cultura de Wellness e Bem-Estar.

Este comité terá as seguintes responsabilidades:
– Avaliação dos programas, serviços e políticas atuais que estão disponíveis no local de trabalho.
– Avaliação das necessidades e preferências dos colaboradores.
– Desenvolvimento de um plano operacional adaptado cultura da organização de promoção da saúde, incluindo uma declaração de visão e objetivos.
– Assistência na implementação, monitorização e avaliação das atividades de bem-estar.
– Reajuste permanente do programa de Wellness e Bem-Estar

O Comité poderá ser eleito por convite os através de voluntários assegurando que existe representação transversal, tais como membros da direção de topo, do departamento de RH, das tecnologias da informação, das comunicações/marketing e do departamento de saúde e segurança; representantes sindicais; e colaboradores interessados na saúde e bem-estar.

Passo 4: Definir Objetivos

Utilizando a informação recolhida da avaliação dos colaboradores, as organizações deverão definir metas e objetivos para o programa de Wellness e Bem-Estar. Os objetivos podem incluir a estabilização da saúde mental dos colaboradores, a redução do absentismo e presentismo, o aumento da produtividade dos trabalhadores e o aumento da retenção. Os objetivos devem ser claros, limitados no tempo e declarados de modo que seja fácil determinar se foram ou não alcançados.

Passo 5: Definir Orçamento

Estabelecer um orçamento é um passo crítico na criação do programa de Wellness e Bem-Estar. Sem financiamento, o programa vai empatar. Ao criar um orçamento de bem-estar, as organizações devem incluir o custo das ações a realizar, incentivos, marketing e design de programas no orçamento.

Passo 6: Definir Componentes do programa de Wellness e Bem-Estar

As organizações têm várias opções na conceção do programa de Wellness e Bem-Estar. Não há um programa padrão, pois cada um variará com base nas necessidades e recursos organizacionais. Conceber um programa Wellness e Bem-Estar assemelha-se a construir um puzzle, cada peça tem de encaixar. O programa de Wellness e Bem-Estar pode ir de um programa muito simples a um elaborado programa multi-ações. É importante incluir uma variedade de ações que visem comportamentos de risco e as necessidades e interesses dos colaboradores.

Exemplos de programas comuns são os seguintes:
– Programas de redução de stress e ansiedade.
– Aconselhamento Psicológico.
– Programas de perda de peso.
– Programas de cessação tabágica.
– Avaliações de risco para a saúde.
– Rastreios de saúde.
– Programas e atividades de exercício.
– Educação nutricional.
– Clínicas de vacinação.
– Ações de Engagemnt da equipa (passeios, reuniões, almoços, quiz, sorteios, …).
– Programas de reconhecimento.

Passo 7: Definir os Incentivos ou recompensas do Programa de Wellness e Bem-Estar

Incentivos ou recompensas são uma ferramenta eficaz para mudar comportamentos pouco saudáveis, para aderir a comportamentos saudáveis, para aumentar as taxas de participação ou para ajudar os indivíduos a completar um programa. O argumento para recompensar os colaboradores por participarem num programa de Wellness e Bem-Estar retira-se dos princípios básicos da psicologia comportamental: As pessoas são levadas a agir pelas consequências positivas que esperam das suas ações. Construir um sistema de recompensas num programa de Wellness e Bem-Estar é um grande motivador. As recompensas podem assumir muitas formas, incluindo pontos que podem ser trocados por bens, presentes que celebram realizações ou prémios monetários. Com o tempo, a motivação para as recompensas passa de um incentivo externo para um reforço intrínseco.

Passo 8: Comunicar o Programa de Wellness e Bem-Estar

Escreva e comunicar a política de Wellness e Bem-Estar da organização que deverá incluir o objetivo da organização, o nível de envolvimento e o sistema de recompensas e incentivos no que diz respeito ao bem-estar dos colaboradores. A comunicar é essencial e determinante para o marketing do programa, para garantir a participação e consequentemente o seu sucesso. A comunicação permitirá criar uma cultura social e de engagement onde ser saudável é valorizado. Isto pode ser feito de muitas maneiras, utilizando técnicas bem estabelecidas de marketing e mudança de comportamento, tais como:
– Um logotipo do programa de Wellness e Bem-Estar e slogans para vários componentes do programa.
– Um lançamento de programa de atração.
– Apoio visível e participação pela gestão.
– Sustentar a mensagem e o programa ao longo de vários anos.
– Múltiplas vias de comunicação, tais como e-mails, panfletos e apresentações.
– Repetição da mensagem.
– Manter a mensagem fresca com novas informações.
A comunicação e o marketing em curso são importantes para manter o envolvimento no programa de Wellness e Bem-Estar.

Passo 9: Avaliar o sucesso do Programa de Wellness e Bem-Estar

Tal como acontece com qualquer investimento ou projeto, a avaliação da eficácia do programa de Wellness e Bem-Estar é importante na sustentação da gestão, apoio dos colaboradores e na revisão ou implementação de novos programas ou ações. Os empregadores devem estabelecer métricas e objetivos no lançamento de qualquer iniciativa de bem-estar, que variará em função dos programas implementados.

Por exemplo, os empregadores podem medir as taxas de participação, as taxas de conclusão do programa e a percentagem de trabalhadores que deixaram de fumar ou perderam peso. As organizações podem querer medir o retorno do investimento (ROI). Independentemente das ferramentas ou medições utilizadas, avaliar a eficácia do programa de Wellness e Bem-Estar é um passo importante na gestão contínua do programa.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *