Recrutamento, Seleção e Integração de Imigrantes no Mercado Nacional

Recrutamento e Integração - comunicaRH

Os fluxos migratórios são uma realidade à escala mundial e Portugal não é exceção, apresentando uma tendência crescente de ser visto como uma porta de entrada para uma nova forma de viver de muitos estrangeiros que variam na sua nacionalidade, caraterísticas sociodemográficas e motivo de migração.

Denota-se que a procura por razões de trabalho é o fator principal para a migração, assistindo-se crescentemente a um perfil mais jovem e com mais habilitações.  Esta nova realidade impacta fortemente na mão-de-obra disponível em Portugal, aumentando a pool de talentos disponível no mercado de trabalho e fazendo, em muitos sectores, equilibrar as necessidades a que os trabalhadores autóctones não têm capacidade para responder.

A Gestão de Pessoas não pode escudar-se das implicações destas dinâmicas migratórias, nomeadamente para os processos de recrutamento, seleção e integração de novos trabalhadores no mercado de trabalho nacional. Neste contexto podem ser enunciados diversos desafios, quer para os candidatos, quer para os profissionais de recursos humanos.

Para os candidatos impõem-se dificuldades associadas ao desconhecimento sobre as dinâmicas do mercado de trabalho português, dificuldade com a documentação e processo de legalização, desconhecimento da língua portuguesa e diferenças culturais, entre outras. Ao nível dos profissionais destacam-se principalmente a falta de informação e formação sobre as questões legais da contratação de trabalhadores migrantes, receio de procederam a uma contratação que não cumpra todos os requisitos legais, e acresce ainda o desalinhado entre a demora dos processos de legalização e as necessidades das empresas. Neste contexto é necessário referenciar ainda a influência de enviesamentos aos quais profissionais estão sujeitos.

Enviesamentos na tomada de decisão

Estes enviesamentos são um resultado do inconsciente e influenciam a avaliação do(s) candidatos(s) e consequentemente, a tomada de decisão final. Alguns dos conhecidos enviesamentos são, entre outros, os estereótipos e preconceitos, o efeito halo, a recolha seletiva da informação e o efeito de similitude. No Quadro 1 – Síntese dos principais enviesamentos

EnviesamentoDefinição
Efeito haloAtribuição de caraterísticas positivas ao/à candidato(a) e consequente generalização, a partir de uma 1ª impressão.
Efeito hornAtribuição de caraterísticas negativas ao/à candidato(a) e consequente generalização, a partir de uma 1ª impressão.
Efeito filtro culturalAnálise do comportamento de um(a) candidato(a) na ótica do padrão cultural da pessoa que avalia.
PreconceitoFormulação de opinião desfavorável e inferiorização dos(as) candidatos(as) pertencentes a um determinado grupo baseada em generalizações e dados não objetivos.
DiscriminaçãoComportamento preconceituoso e prejudicial em direção a um(a) candidato(a) em razão da sua pertença a um determinado grupo, sexo, nacionalidade, orientação sexual, identidade de género, origem étnica, ou outro fator.
EstereótipoAssociação generalista de um conjunto de caraterísticas e atitudes de um(a) candidato(a) que o/a avaliador(a) crê serem atributos de todas as pessoas do seu grupo de pertença.
Recolha seletiva de informaçãoRecolha e interpretação da informação, por parte do/a avaliador(a), que mais se aproxima das suas crenças e expectativas prévias, ignorando a restante informação sobre o/a candidato(a).
Efeito de similitude  Favorecimento inconsciente dos(das) candidatos(as) que mais se assemelham ao/à avaliador(a).

A compreensão dos enviesamentos pode ser um conhecimento fundamental para o sucesso de organizações mais inclusivas e heterogéneas e para um maior respeito e aceitação do paradigma da diversidade humana.

Boas práticas

São várias as boas práticas que podem ser pensadas pelas organizações com vista a tornar os processos de recrutamento, seleção integração mais inclusivos desde o primeiro momento de onboarding, estendendo-se ao longo do ciclo de vida desse colaborador na empresa. Entre essas, podemos encontrar práticas desde como construir um anúncio de emprego mais inclusivo e atrativo, a técnicas para uma “leitura cega” dos currículos, dinamizar sessões de esclarecimento, reuniões de equipa e conferências para envolver todos os trabalhadores nas questões da D&I, ou o programa de embaixadores da organização, entre outras.

Recomenda-se a leitura do Guia para recrutamento, seleção e acolhimento de migrantes editado pela Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas no âmbito do Projeto Job Tours promovido pela TESE – Associação para o Desenvolvimento.

Recursos:

Gonçalves, S.P. (Coord.) (2021). Guia para recrutamento, seleção e acolhimento de migrantes. Edição Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/354533089_Recrutamento_selecao_e_inclusao_de_migrantes_Guia_pratico_para_profissionais_de_gestao_de_recursos_humanos#fullTextFileContent

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.