A grande oportunidade para se diferenciar no competitivo mercado de trabalho

Ricardo Rolim na comunica rh

O que vou apresentar-lhe neste artigo é a forma como poderá ganhar vantagem competitiva no atual mercado de trabalho e ser um colaborador ou um líder com um desempenho acima da média.

Como tudo na vida e na história da humanidade, também o mercado de trabalho funciona em ciclos, relativamente às necessidades do mercado de trabalho sobre as capacidades dos seus colaboradores.

Primeiro valorizou-se a força física, depois a perícia manual, em seguida a capacidade racional e organizacional, posteriormente a formação superior (o canudo) e a especialização de competências e hoje isso já não chega, porque a comparação do número de candidatos com competências relativamente ao número de oportunidades de emprego ou de progressão dentro da sua empresa tende a pesar para o lado do número de candidatos. Isto é, para cada oportunidade de emprego ou de promoção, existem inúmeros candidatos teoricamente competentes para a função.

Então, na era em que vivemos, onde pode o colaborador ou o líder se diferenciar? Qual é a grande oportunidade?

Eu diria que a grande oportunidade está na capacidade de geração de energia física e mental, na gestão do stress e na adoção das melhores estratégias de trabalho, que otimizem as capacidades do colaborador (físicas e intelectuais) e eliminem ações inúteis, de forma a atingir níveis de produtividade e de desempenho muito altos, que, por consequência, se transformam em resultados bem acima da média.

Vivemos na era do stress, onde é comum encontrar colegas de trabalho ou mesmo amigos (ou nós próprios) a viverem a sensação diária de cansaço quando o dia ainda vai no início e a ansiedade para que chegue o fim de semana, refletindo numa enorme falta de produtividade.

Nas últimas décadas, fizeram-se um sem número de estudos relativamente ao stress e à produtividade e hoje sabemos, com segurança, que a maior parte dos problemas de stress e de falta de produtividade prende-se com a forma como trabalhamos, com a gestão emocional e com a falta de bons hábitos de exercício físico e alimentares.

Andamos sem a energia física e mental necessárias para ser mais produtivos e para ter maior capacidade cognitiva e andamos com elevados níveis de stress, porque não sabemos gerir as nossas emoções nem gerir as nossas prioridades.

Dominando as estratégias e técnicas de geração de energia e aumento de produtividade, estamos em melhores condições de nos destacar da maioria dos nossos colegas e, assim, criar condições para sermos muito mais valorizados e colher as consequências positivas desse estado.

Existe uma boa notícia: o processo para ganhar estas competências requer algum esforço e comprometimento pessoal, especialmente no início, apesar de estar acessível a quase todos.

Por que é esta uma boa notícia? Porque afasta, à partida, a maioria da concorrência. Poucas são as pessoas que estão dispostas a fazer o esforço inicial, que poderá durar entre 2 a 4 meses, para alcançar um nível elevado constante e diário de energia física, mental e emocional. Isto é, é o período que demora, em média, a introduzir os hábitos necessários para atingir um alto desempenho, que é o que eu chamo a viver e a trabalhar de forma produtiva.

Esta energia física, mental e emocional, além de transmitir a quem nos rodeia uma aparência de vitalidade, que só por si faz as pessoas nos valorizarem e respeitarem mais, ela permite-nos, também, que tenhamos uma maior capacidade cognitiva e trabalhar de forma produtiva durante todo o dia, trazendo resultados excecionais e permite-nos muito mais facilmente adaptarmos a qualquer situação que nos apareça, seja uma nova cultura empresarial, seja uma nova metodologia de trabalho, seja um novo tipo de cliente ou superior hierárquico ou seja uma nova função.

Como nos tornamos especialistas a gerar energia e a gerir o stress?

Atualmente, existe informação para todos os gostos, inclusive, estratégias para gerar energia e estratégias de gestão de stress, gestão emocional e de produtividade.

Vou focar-me apenas na geração de energia e na gestão de stress.

De todas as estratégias que conheço, existe uma que considero a mais eficaz: começar o dia com um ritual matinal que trabalhe a nossa condição física/geração de energia física e mental, a nossa capacidade de reflexão e o nosso crescimento intelectual e emocional. E basta fazê-lo apenas 5 dias por semana. Chamo a este ritual o Hábito Master, porque ele permite que desenvolvamos, quase que por contágio, uma série de novos bons hábitos.

Este ritual deverá ocorrer, pelo menos, 1h (idealmente, 2h) antes da hora em que normalmente acorda para se despachar para começar o seu dia.

Começa com um período de exercício físico que faça suar, que poderá ter uma duração entre 10 a 15 minutos, desde que intenso, passando depois para um período de quietude onde poderá incluir a meditação, a realização da agenda do dia e dos objetivos para o dia, a visualização do seu dia ou dos objetivos que deseja alcançar, acabando no período de crescimento intelectual e/ou emocional onde pode incluir a leitura de livros, a visualização de documentários, a audição de áudios ou, então, desenvolver o projeto que sempre quis desenvolver, mas que nunca encontrou tempo nem coragem para o fazer.

Porquê estas práticas?

O exercício físico intenso logo de manhã baixa consideravelmente os níveis de cortisol, que é a chamada hormona do stress, deixando-nos mais tranquilos e mais corajosos e confiantes. Aumenta os níveis de dopamina, serotonina e noradrenalina. Sem entrar em grandes pormenores por cada um destes neurotransmissores, eles aumentam a motivação para agir, o foco e a concentração, a sensação de felicidade e a serenidade. Aumentam a nossa capacidade de lidar de forma mais serena quando nos deparamos com situações mais desafiantes, tais como, um bebé a chorar, o chefe com mau humor ou um motorista a gritar sem razão e de forma pouco educada no meio do trânsito.

Aumenta, ainda, o FNDC, que é o fator neurotrófico derivado do cérebro que contribui para a reparação de células danificadas, a criação de novas células e a manutenção das células existentes, além de facilitar a capacidade de criar novas ligações neuronais, que na prática significa ter maior capacidade e facilidade em criar novas ideias e novas soluções para os desafios que aparecem e, também, reter a informação que lemos, vemos ou ouvimos mais facilmente.

A meditação baixa os níveis de cortisol, ou seja, baixa os níveis de stress, aumenta o foco e a concentração, a capacidade de raciocínio, a nossa consciência sobre aquilo que pensamos constantemente, melhora a qualidade do sono, dá-nos serenidade e reduz a ansiedade (a ansiedade é um dos maiores consumidores de energia).

Fazer a agenda e os 5 objetivos do dia dá-nos foco. Uma tarefa ou ação agendada tem uma probabilidade muito maior de ser realizada do que qualquer outra que não esteja prevista. Escrevendo aquilo que queremos fazer numa hora específica evita que façamos tarefas ou ações inúteis e que tiram tempo e energia para aquelas que nos são úteis.

A visualização do dia e como queremos que ele ocorra prepara-nos para os acontecimentos mais importantes do dia, deixando-nos mais confiantes e focados.

A visualização dos objetivos que desejamos alcançar dá-nos foco e mais facilmente tomamos decisões que nos aproximam desses objetivos. Dá-nos a clareza daquilo que queremos e mais facilmente sabemos o que fazer todos os dias, evitando tarefas e ações inúteis.

A leitura de livros, a visualização de vídeos ou documentários e a audição de áudios de temáticas ligadas ao crescimento pessoal, tais como gestão de stress, aumento de produtividade, liderança, gestão de emoções, neurociência, PNL, psicologia positiva, entre outros temas, abrem a nossa mente, dão-nos mais recursos e dão-nos mais perspetivas sobre a forma como nos vemos a nós, aos outros e ao mundo.

Neste período também pode aproveitar para ler, ver ou ouvir sobre temas relacionados diretamente com o seu emprego ou área de interesse, contribuindo para alargar ou melhorar as suas competências profissionais e tornar-se um colaborador tecnicamente ainda mais valioso e competente. A importância de fazê-lo de madrugada é que depois do exercício físico e do período de quietude e reflexão, este é o período do dia em que terá maior capacidade de reter informação e ligar ideias.

Por este motivo, também o desenvolvimento de um projeto pessoal é uma excelente ideia para este período. Terá o foco e a capacidade cognitiva ideais para o fazer.

Este é o melhor período, porque acontece logo depois do corpo regenerar (cérebro incluído), que ocorre durante o sono, e ainda não temos a mente cheia da informação, que vamos recebendo ao longo do dia, e ainda não temos a mente desgastada pelos desafios e interações, que vão aparecendo durante o dia.

Uma última nota relativamente a este ritual e que é tão ou mais importante que ele é que deve garantir que dorme entre 7h30 a 8h, diariamente. Se vai acordar 2h mais cedo, então deve adormecer, também, 2h mais cedo. Se tiver um evento na noite anterior que o impeça de adormecer mais cedo, então nessa manhã não deve fazer o ritual todo, se isso significar não dormir o suficiente.

Se neste momento, depois de eu ter referido os benefícios deste ritual chegar à conclusão que isto não é para si, então, provavelmente, está a comprovar que nem toda a gente está disposta a fazê-lo e que a concorrência é, ainda, muito pequena.

O maior desafio deste ritual é instalar o hábito de levantar da cama para fazer exercício físico.  É este que faz o processo tornar-se natural apenas depois de 2 a 4 meses. Tudo o resto, facilmente se instala. Acordar às 5h30 ou às 6h torna-se muito fácil a partir do momento em que começa a deitar-se mais cedo. Se já viajou para um fuso horário com, pelo menos, 4h de diferença, facilmente consegue perceber que em poucos dias já está adaptado. Depois de passar este período inicial, é incrível a facilidade com que o faz e da energia que sente todos os dias.

Assim como para se ser mais produtivo existem algumas estratégias que nos ajudam a alcançá-lo com mais facilidade, também na introdução de novos hábitos existem estratégias que o facilitam e tornam o processo mais consciente. Atualmente, já existe muita informação relativamente ao funcionamento dos hábitos e à forma como poderemos alterá-los sem contar apenas com a força de vontade, que, na maioria das vezes, não é suficiente.

Depois deste ritual, a alimentação é muito importante. Começar o dia com comida de fácil digestão, tal como fruta, contribui para sentir muita energia e leveza no corpo.

A alimentação é um aspeto fundamental para a geração de energia e para nos mantermos saudáveis. Não conheço nenhum outro tema com mais controvérsia do que este. São tantas as teorias sobre a alimentação defendidas por pessoas que, à partida, sabem do que estão a falar, que o que aconselho sempre é que cada pessoa veja o que melhor se adapta a si. A única coisa que todos os especialistas estão de acordo é de que devemos eliminar por completo ou com raríssimas exceções a ingestão de comida processada e de fast food. Só este passo, é uma evolução incrível no nível de saúde e na geração de energia.

Concluindo, se se comprometer em começar a instalar estas práticas, os resultados serão incríveis e estará em vantagem competitiva relativamente ao resto do mercado, aumentando a probabilidade de ser mais bem-sucedido na sua vida profissional (e na sua vida pessoal).

You may also like...

1 Response

  1. Jorge diz:

    Excelente artigo.
    A temática é extraordinariamente pertinente, actual e relevante!
    Tomar essa consciência é um passo…o difícil é aplicar!!! Difícil é praticar! Alocar esse tempo, conjuga-lo com a agenda, a motivação para o fazer, para o tornar real e executar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *