Fran Winandy

Psicóloga com MBA em RH e Mestrado em Administração de Empresas. É pesquisadora do tema “Etarismo”, responsável pelo Blog Etarismo e Sócia da Acalântis Services. Atua como consultora na área de Transição de Carreira e Diversidade Etária.

A agenda de Diversidade vem sendo tratada nas organizações, com maior ênfase nos temas relacionados a gênero e raça, já que estes costumam ser os mais sensíveis. Como justificar salários mais altos para homens brancos pelo simples fato de serem homens e brancos?

Alguns países mais avançados já vêm lidando com uma agenda mais complexa, envolvendo a questão do envelhecimento nessa equação, já que há uma tendência global a um aumento na longevidade. Afinal, se vamos viver mais, temos que trabalhar por mais tempo e, para que isso seja possível, temos que mudar o mindset  das pessoas e empresas.

Sob o ponto de vista do consumidor “envelhescente”, cresce a necessidade de produtos e serviços que atendam as suas demandas. Mulheres reclamam do descaso da indústria da moda para seus interesses e desejos: sentem que se tornam invisíveis com o avançar da idade.

As empresas se agitam frente ao frenesi provocado pelos números potenciais da economia prateada, 3ª maior atividade econômica do mundo movimentada por um consumidor ainda pouco conhecido, a cada dia mais ativo, exigente e que não se sente representado.

Esqueça aquela pessoa velha, sedentária, passiva e com poucos recursos: o novo “velho” cuida da saúde, procura fazer exercícios, alimentar-se bem, faz procedimentos estéticos quando acha que  pode melhorar a sua aparência, utiliza ferramentas tecnológicas com certa desenvoltura, faz compras online, movimenta-se através das redes sociais e não tem vergonha de ser feliz!

Ainda assim, pesquisas atestam que esse idoso enfrenta dificuldades com rótulos de produtos e cardápios de restaurantes com letras pequenas demais, extratos de banco com explicações complicadas, sites pouco amigáveis, dificuldades de acesso, e profissionais pouco empáticos, especialmente na área da Saúde.

Como trabalhar essas questões?

Acredito na simplicidade como grau máximo de sofisticação. A beleza das soluções simples é que costumam ter baixo custo de implantação e impactos positivos em outras situações. Trazer respostas para as demandas dos seniores implica em resgatar um olhar empático para as suas questões e, o que pode ser mais simples do que convidar outro sénior a fazê-lo?

Empresas resistentes à contratação de pessoas mais velhas em seus quadros começam a repensar essa postura considerando os resultados que este olhar maduro pode trazer na conquista desse consumidor sénior.

Novamente aqui, o encadeamento de outro benefício: trazer um sénior para o time representa um upgrade cultural através de uma ação efetiva de integração geracional, prática com benefícios comprovados de engajamento e clima organizacional.

Benefícios adicionais? Vários!

Dentre as vantagens de se implantar um programa de integração geracional na organização, podemos destacar os ganhos de imagem, sociais e de negócios.

Nos últimos anos as empresas vêm sendo cobradas por sua gestão econômico-social, envolvendo aspectos relacionados ao exercício da sustentabilidade, responsabilidade social e relacionamento com a comunidade. Nesse sentido, uma empresa que aposta na diversidade etária é bem vista no Mercado: é uma empresa que pensa no futuro de seus colaboradores, fornecedores e clientes. Dependendo da amplitude do trabalho desenvolvido, a empresa pode estar conduzindo ou participando de uma transformação social, promovendo orgulho e senso de pertencimento a seus colaboradores e, por que não, clientes.

Cabe ressaltar que a imagem corporativa, intangível e abstrata, é formada por perceções e interações diversas, cujos ganhos só irão ocorrer a partir de intenções honestas: de nada serve lançar um programa desses só “para inglês ver”. Portanto, com esta ação, atingimos dois pontos importantes, a responsabilidade social da empresa e seus ganhos de reputação. E como benefício adicional, a atração de talentos para a organização.

Mirando em benefícios quantitativos de curto/médio prazo, podemos também enxergar  vantagens na implantação de um programa bem estruturado de Diversidade Etária. O primeiro, apontado em pesquisas, diz respeito à inovação e pode ser ampliado para a Diversidade como um todo:

cabeças diferentes pensando juntas trazem soluções mais ricas e maior produtividade. Se combinarmos a interação entre gerações com outros pilares da diversidade, os ganhos podem ser exponenciais.

Outro ponto interessante é o capital intelectual gerado pela atração de talentos comentada anteriormente.

Os argumentos tratados mostram que a integração geracional pode ser uma importante estratégia de negócios. Portanto, se a sua empresa ou marca pretende ser relevante no futuro, não deixe essa questão de lado. Comece revisitando seus processos e políticas de RH, pois certamente lá estarão os principais entraves para que a diversidade etária flua em sua organização.


Parceira de Conteúdo responsável pelo artigo: Mariana Neves

This Post Has 3 Comments

  1. Avatar
    patricia santos

    Fran, felizmente, em minhas entrevistas, tenho me surpreendido com o recente discurso de inclusão e de benefícios que as empresas experimentam a partir da contratação dos trabalhadores mais velhos.

  2. Avatar
    Fran Winandy

    Que ótimo Patrícia! Aos poucos vamos mudando o mindset e transformando as empresas em locais mais inclusivos!

  3. Avatar
    Everaldo Nogueira

    A integração geracional pode ser a saída para diminuir o abismo que se imagina existir. A “co-laboração” vai inovar, renovar e reforçar conhecimentos e práticas.

Deixe uma resposta