Aprendizagem versus Prática

Aprendizagem e estagio - comunicaRH

Na entrevista de hoje, Iúri Branco, Parceiro de Conteúdo da comunicaRH, foi perceber como os estudantes sentem o início da sua carreira profissional, nomeadamente na face do estágio.

Ana Sofia Santos, estudante do mestrado de Gestão de Recursos Humanos do ISCAC, fala sobre a correlação entre a aprendizagem e a prática no local de trabalho.

1- O ensino superior preparou-te de que forma para a entrada para o mercado de trabalho / estágio?

O ensino superior preparou-me para o estágio tanto a nível teórico, visto que leciona conteúdos fundamentais para a realização deste, como a nível da gestão de tempo e cumprimento de prazos e a nível do trabalho em equipa, soft skills cruciais para um bom desempenho no mercado de trabalho.

2- Quais as principais semelhanças e diferenças entre as aprendizagens no estágio e no ensino superior?

As aprendizagens apreendidas no decorrer do estágio apresentam um caráter mais prático, quando comparadas com as adquiridas no ensino superior, sendo possível visualizar a orgânica da organização de perto, assim como observar e aplicar os conceitos teóricos previamente adquiridos. Contudo, por forma a ter um bom desempenho em ambas as formas de aprendizagem, é necessário fazer uma investigação bibliográfica constante sobre os temas que estão a ser abordados/aplicados. Para além disso, no início do estágio existe uma fase de formação semelhante à aprendizagem adquirida no ensino superior, onde é aprendido o modus operandi da função.

Neste sentido, considero que as aprendizagens do estágio e do ensino superior são semelhantes ao nível da investigação que deve ser realizada pelo estudante, assim como do conhecimento adquirido aquando da fase de formação. Contudo, são distintas ao nível do tipo de ensino, visto que o estágio é de caráter mais prático e o ensino superior é de caráter mais teórico.

3- O que pensas relativamente a um equilíbrio entre a teoria no ensino superior e a prática no estágio?

A teoria, para ser devidamente assimilada, deve ser sempre agregada com uma componente prática, visto que o ser humano aprende mais pela experiência (componente ativa) do que pela leitura/ aulas (componente passiva). Esta componente pode ser através de um estágio, como também através de pequenas atividades realizadas pelo ensino superior.

4- O curso correspondeu às tuas expectativas? E o estágio?

O curso superou as minhas expectativas, visto que os professores conseguiram conciliar muito bem a componente teórica com a prática, mesmo em regime remoto. O estágio, por outro lado, foi relativamente limitador, visto que me foram administradas poucas tarefas e pouca autonomia, não correspondendo, deste modo, com as minhas expectativas.

5- Qual o melhor aspeto do curso e o que poderia melhorar? E no estágio?

O melhor aspeto do curso foi a conciliação entre as componentes teórica e prática, através da realização de trabalhos que continham conteúdos passíveis de serem aplicados numa organização e de pequenas atividades de grupo sobre as temáticas dadas. Contudo, considero que devia existir um maior foco na disciplina de gestão administrativa de recursos humanos, ensinando temáticas como a realização de salários, assim como uma disciplina destinada a ensinar os alunos a utilizar a plataforma excel, a qual é fundamental para a realização da atividade profissional.

O melhor aspeto do estágio foi a interação diária com o meio organizacional, percebendo quais as opiniões dos colaboradores sobre determinados assuntos. No entanto, considero que seria pertinente e viável ser responsável por mais tarefas, visto que um estagiário apresenta qualificações suficientes para as executar de forma adequada.

6- Achas necessário / irás fazer (ou já fizeste) um mestrado ou uma pós-graduação na área que estudaste?

Neste momento, estou a finalizar o mestrado em Gestão de Recursos Humanos. No entanto, gostaria de realizar, posteriormente, uma pós-graduação numa área pertinente para mim dentro da GRH.

É muito importante, sobretudo nesta área, manter uma posição curiosa e atualizada, através, por exemplo, da realização de mestrados e pós-graduações. Apesar de serem um investimento, podem impactar a felicidade e a satisfação de várias pessoas, pois aplica-se novos conhecimentos/ métodos aos colaboradores.

7- O estágio ajudou-te a decidir se continuarias a estudar ou a prosseguir de imediato uma carreira nessa área?

Sim, o estágio fez-me perceber que, neste momento, gostaria de entrar de imediato no mercado de trabalho, pois sinto necessidade de perceber que área dentro da GRH me faz mais sentido. Todavia, pretendo realizar, futuramente, algumas pós-graduações e um eventual doutoramento.

8- Sentes-te ou sentias-te preparado para a entrada no mercado de trabalho no final do estágio?

Não me sinto completamente preparada, visto que o meu estágio careceu da parte prática.

9- O que esperas do mercado de trabalho e do futuro da tua carreira profissional?

Atualmente, espero entrar no mercado de trabalho na área do recrutamento, por forma a ganhar experiência profissional neste ramo. Futuramente, espero fazer parte de um departamento de recursos humanos, também com o intuito de adquirir conhecimento e experiência a este nível.

Tal como referi anteriormente, espero conseguir prosseguir estudos, conciliando com o trabalho.

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.