O que é ser um líder?

O que é ser um líder?

Há alguns dias, em uma daquelas conversas cotidianas e despretensiosas, fui questionado por um de nossos colegas sobre o que ele poderia fazer para se tornar um líder.

Dei a ele uma resposta sobre aquilo que eu achava no momento, usando como base as coisas que aconteceram na minha e vida e o que sentia naquela hora. Mais tarde, coloquei-me a refletir.

Liderar é despertar no outro a vontade de fazer algo, mesmo que ele não queira. É fazer com que várias pessoas o vejam como referência, seja ela técnica, humana, moral, existencial, espiritual ou tudo isso.

Mas por que é tão importante ter um líder? Por vários motivos.

A liderança é fundamental, por exemplo, para a inovação, que só se pode conquistar através do envolvimento das pessoas, formando um time multidisciplinar. A diferença é boa! As pessoas precisam pensar diferente, mas convergir para a mesma direção, no caso, aquela que o líder apontar.

E é claro que o verdadeiro líder não vai apontar o caminho de forma imposta ou autoritária, mas através do seu poder de conquista, persuasão e referência entre as pessoas. Afinal, são elas que escolhem o líder, e não o contrário.

Aqui já vimos um importante ponto para quem quer se tornar líder: conhecer as pessoas, amar, servir, estar à disposição e saber trabalhar com as diferenças. O líder de verdade sabe que a diferença é o graal da vida.

Isso também me fez lembrar outro ponto importante, dito antes por Steve Jobs.

“Não faz sentido contratar pessoas inteligentes e dizer a elas o que precisa ser feito; nós contratamos pessoas inteligentes para que elas possam nos dizer o que fazer”

Essa frase possui um grau de profundidade muito grande. Aqui, podemos identificar um papel importante da liderança para o processo de inovação, gestão de pessoas e obtenção de resultados.

Bons profissionais precisam de espaço, liberdade e autonomia para mostrarem tudo o que sabem. Do contrário, eles apenas ficarão repetindo o que o líder diz. E é aí que mora o perigo.

Na ânsia por querer “dar o caminho” ou “dar o tom” das coisas, muitos líderes acabam criando equipes dependentes, avessas ao risco ou ao erro e, por consequência, sem inovação. O maior desafio de um líder, hoje, está em entender que o seu papel não é o de definir caminhos, mas sim, o de apontar o destino final, deixando que os profissionais de sua equipe digam como chegar lá.

É trabalhoso, dá medo e requer um altíssimo grau de humildade por parte de quem lidera, afinal, isso deixará a sensação de que todos estão andando por si, parecendo ser nulo o papel de quem lidera. Mas é exatamente o contrário. Lembra-se do início deste texto?

“Liderar é despertar no outro a vontade de fazer algo, mesmo que ele não queira. É fazer que várias pessoas o vejam como referência, seja ela técnica, humana, moral, existencial, espiritual ou tudo isso”

A autoridade da sua liderança não está nos caminhos que você aponta, nas ordens que você dá ou nas soluções apresentadas, mas sim, na forma como serve as pessoas, no modo como você se porta, é admirado e se faz necessário por aquilo que você é, não pelo que faz. Quem faz são as pessoas, o líder apoia, impulsiona e facilita o caminho.

Aqui, temos mais uma lição para quem quer se tornar líder: seja a referência, mas não fique no meio do caminho das pessoas. Seja humilde a ponto de perceber que elas sabem fazer melhor que você, mas ao mesmo tempo, elas precisam de você.

E de que forma podemos identificar essa referência e papel do líder atualmente? As pessoas inteligentes, citadas por Steve Jobs, muitas vezes têm ideias ou contribuições que podem levar uma organização a outro patamar, contudo, essas iniciativas podem não estar alinhadas ao momento da organização. É aí que aparece o papel do líder, conduzindo, explicando e orientando as pessoas sobre os caminhos a serem escolhidos. Liderar é uma eterna arte de conhecer, convencer e vencer.

O desafio de todos os líderes é sempre aprender. E não basta apenas se capacitar como líder, mas entender as mudanças que o mundo está passando, sejam elas no âmbito social, econômico, mercadológico, político, psicológico, etc.

Por fim, podemos perguntar se, para ser líder, é preciso se tornar um super-herói. Certamente não, mas se as pessoas o virem como alguém que elas chamam na hora que precisam de ajuda, então você se tornou um líder!

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *