12 Características do Líder que não se conhece

12 Característica do Líder que não se conhece

Conhecer a si próprio deveria ser, em todos os lugares, requisito básico para o desenvolvimento e a prática da liderança. Se liderar é ajudar pessoas a chegar a lugares que elas mesmas nunca imaginaram, como pode um líder que não se conhece atingir esse objetivo?

Segundo dados da consultoria Gallup, 85% das pessoas deixam os chefes e não a empresa que trabalham ao pedir demissão. Isso escancara a necessidade de as empresas cuidarem melhor da formação e escolha de seus líderes, afinal, sem pessoas não há negócio.

Antes de liderar aos outros o líder precisa liderar a si mesmo, conhecendo suas virtudes, fraquezas, pontos a destacar e quesitos a desenvolver.

Ele deve ter a exata noção, inclusive, do seu propósito de vida, sabendo o que quer, quando, por que e para quê. O bom líder é aquele que tem, inclusive, uma noção filosófica, existencial e espiritual sobre o sentido da vida.

E para que ele precisa de tudo isso? Para não cair na armadilha de achar que é maior do que realmente é e querer provar isso para as pessoas, tomando atitudes tóxicas, tornando o ambiente pesado, com times inteiros desmotivados, produzindo menos, com maior turnover e altíssimos índices de processos trabalhistas.

Abaixo, listo 12 características de líderes que não se conhecem.

1. Insegurança: quando uma pessoa não se conhece, vive insegura. Qualquer coisa que se diga a ela poderá ser motivo de ofensa, afinal, ela não tem certeza do que é. De forma inconsciente, está sempre em busca de ouvir de fora quem ela é. Em cargos de liderança, pessoas assim viverão ofendidas e, por consequência, ofendendo pessoas. Também passarão o dia tentando “se provar” para os próprios liderados. É aqui que surgem os comportamentos do tipo: contar para todos as suas grandes vitórias, mostrar que tem a melhor roupa, as melhores decisões, as ideias sobrenaturais e, em vários momentos, usará da autoridade e falta de educação. No fundo, o líder assim está gritando para si mesmo é bom, já que ele não se vê assim.

2. Pedra no sapato: é o líder que trava o crescimento de todos à sua volta, não deixa seu próprio time crescer, prejudica, puxa tapete, traz todos os louros para si, rouba ideias do time e não reconhece quando alguém faz um bom trabalho para não dar destaque para outra pessoa que não seja ele mesmo. Líderes assim têm esse comportamento justamente pela insegurança que sentem, pois vivem com muito medo de perder o lugar para alguém melhor.

3. Perseguição: para um líder que não se conhece sempre haverá alguém tentando derrubá-lo, poucas serão as pessoas que ele poderá confiar e, mesmo assim, nunca será de forma plena. A perseguição na mente de um líder assim não é uma opção, mas uma condição básica de sobrevivência, já que o mundo é uma selva onde que ele poderá ser devorado a todo momento. O modo “luta ou fuga” está sempre ligado e todos à sua volta são vistos como possíveis traidores.

4. Retenção de conhecimento: um líder assim jamais compartilhará tudo o que sabe. Para ele, reter o conhecimento e informações é uma forma de garantir que as pessoas ao seu redor vão precisar dele em algum momento. Dessa forma, eles até compartilham informações gerais e mais básicas, mas gostam de guardar para si aquelas mais estratégicas, dizendo frases como “isso é muito complicado para explicar” e “qualquer coisa é só me chamar”. No fundo, o que ele quer é que o outro dependa dele.

5. Esconde a equipe: o líder faz isso para evidenciar a si próprio e não deixar que outras pessoas na empresa percebam que, na verdade, quem faz o trabalho não é ele, mas sua equipe. Então, ele não expõe ou destaca membros do seu time à alta liderança ou a outras áreas, chegando até mesmo a proibir o relacionamento e o livre compartilhamento de informações entre as pessoas.

6. Centralizador: além de centralizar, também controla. Tudo precisa passar por ele e nada é aprovado ou feito sem a sua ciência. O líder assim faz isso para ter a sensação de que é importante para todos os processos, sendo essa uma forma de justificar a sua existência na equipe. Além disso, o controle também traz a segurança de que ninguém está fazendo algo pelas suas costas, trazendo a sensação de que ele sabe de tudo.

7. Dá menos resultado: por isso, precisa falar mais do que faz e está sempre em busca de mostrar para todos o resultado do seu trabalho. Na verdade, do trabalho feito pela equipe e que ele intitula como sendo dele.

8. É gerador de conflitos: por não ter bons resultados e ter comportamentos éticos e morais não admirados, ele promove uma pressão psicológica acima do normal para se autoafirmar e “mostrar quem manda”. É comum um líder assim usar frases do tipo “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, “aqui quem manda sou eu”, “se não está feliz, a porta da rua é serventia da casa”, “tem muita gente lá fora querendo o seu emprego”.

9. É falso: bajula quem está acima, pisa em quem está abaixo. O líder inseguro precisa agradar demais quem está acima para garantir que não será percebido, dizendo sempre para seus líderes que tudo está caminhando conforme previsto, tratando-os como verdadeiros reis, decorando datas de aniversário, doces e comidas preferidas, mas pisando e humilhando quem está abaixo, já que não podem oferecer nada de interessante para ele. Perto da alta liderança, ele abraça e beija a equipe, mas quando está longe humilha, pisa e é bastante tóxico.

10. Não tem amigos: ninguém quer estar perto de uma pessoa assim, quanto mais de um líder. Quando ele sai de férias, o time todo comemora. Nos corredores da empresa, seu nome é motivo de piadas e muitas críticas. Por trás, as pessoas estão enviando currículo e planejando ter provas para um possível processo quando deixarem a organização. Em happy hours, ele até é convidado, mas a torcida é mesmo para que ele negue. Por isso, quase nunca recebe um convite sincero, apenas por interesses.

11. Sofre muito: rosto sorridente, travesseiro encharcado. Líderes que não se conhecem enfrentam, no fundo, uma tristeza profunda. São pessoas que possuem traumas e experiências de vida muito fortes, geralmente marcadas pelo abandono, traição e humilhação, principalmente na infância. Quando crescem, acabam se tornando adultos que precisam se proteger de qualquer situação que poderão fazê-los sofrer. Líderes assim precisam, acima de tudo, de uma equipe com altíssimo nível de consciência para poder ser ajudado e compreendido.

12. Precisam de amor: se você tem um líder assim, ame-o. Não significa ter um sentimento de amor por ele, mas sim praticar o ato de amar, mesmo não gostando. Amar é um verbo e requer ação, não um sentimento. Nesse sentido, amar significa compreender, não desistir, estimular, entender, mapear o seu comportamento e evitar despertar gatilhos, passar confiança, ser fiel e, se houver oportunidade, indicar uma boa terapia. Somente se conhecendo ele poderá ser melhor para você e para ele mesmo. Veja isso como uma missão, um propósito em sua vida. Se conseguir ajudar, você verá que a sensação de realização será enorme. Agora, se você perceber que não haverá melhoras, voe. O mundo é grande demais e as oportunidades são inúmeras para ficar aguentando caprichos de quem deveria chegar pronto ao cargo que ocupa.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *