Reflexões sobre Liderança!

Reflexões sobre Liderança!

Para facilitar a plena compreensão sobre esse extenso e fascinante assunto que é Liderança, decidimos fazê-la através do método de Q&A (Perguntas e Respostas).

Neste sentido, relacionamos algumas perguntas sobre esse tópico que, na nossa experiência, ocorrem com mais frequência e colocamos, logo em seguida, as respetivas respostas e ponderações.

Assim, selecionamos as seguintes perguntas que serão respondidas em artigos a serem publicados agora e no breve futuro.

As perguntas iniciais são:

  1. O que vem a ser um Líder?
  2. Líderes são natos ou podem ser formados?
  3. Quem pode influenciar na formação correta dos Líderes?
  4. Estamos formando os Líderes que as Organizações e as Instituições tanto precisam?
  5. Como e/ou qual o Modelo que pode ser usado para formar Líderes?
  6. Como medir o efeito da presença ou da falta de Líderes sobre Times, Organizações, Instituições, etc?

Logo, como é de se esperar, a 1ª parte desse artigo diz respeito a 1ª pergunta, que é:

Quando falamos sobre Liderança, primeiramente precisamos definir, com clareza: O que vem a ser um Líder?

Essa pergunta, aparentemente simples de responder, tem gerado muita confusão. Isso, na nossa opinião, se deve a alguns fatos, descritos a seguir.

Em primeiro lugar, o tumulto sobre o que vem a ser um Líder já começa ao se pesquisar no Google as palavras: Líder, Liderança, Leader ou Leadership. Essa sondagem vai gerar, literalmente, centenas de milhões de referências, ou seja, tem muita coisa, boas e ruins, escrita e registrada sobre esse fascinante assunto.

Em segundo lugar, se você procurar a definição de Líder no Google, encontrará:

Substantivo de dois gêneros

1. Indivíduo que tem autoridade para comandar ou coordenar outros.

2. Pessoa cujas ações e palavras exercem influência sobre o pensamento e comportamento de outras.

Já no Dicionário Michaelis, temos as seguintes definições:

  1. Pessoa com poder de decidir, de se fazer obedecer;
  2. Pessoa com capacidade de influenciar nas ideias e ações de outras pessoas.

Seguindo em frente, o que vemos é que, tendo essa imensa quantidade de referências e as definições citadas acima em mãos, muitas pessoas se confundem e chamam de Líderes aqueles indivíduos que ocuparam, ou ainda ocupam, posições de autoridade e/ou comando organizacional e/ou institucional, como por exemplo: Presidentes, Primeiros Ministros, Generais, CEOs, Diretores, Gerentes, Supervisores, etc.

Como veremos mais na frente, essa definição pode até ser verdade para alguns casos específicos, mas está longe de ser a regra.

Para complicar ainda mais, a mídia em geral, alguns autores e/ou pessoas influentes, tendo esses conceitos equivocados como princípio e/ou influenciados por vieses políticos, aumentaram essa confusão chamando de Líderes alguns personagens extremamente nocivos da recente história da humanidade, como: Adolf Hitler, Mao Tse-tung, Joseph Stalin, Fidel Castro, Pablo Escobar (Cartel de Medelín – Colômbia), El Chapo – Joaquím Guzmán (Cartel Sinaloa – México), e tantos outros.

Se os exemplos acima se concentraram em políticos e traficantes, temos também muitos casos semelhantes, mas com muito menos letalidade, nas esferas empresariais. Nesse meio, podemos citar os mais famosos: Dick Fuld (Lehman Brothers), Ken Lay (Enron), John Sculley (Apple), Bernie Ebbers (WorldCom) e muitos outros.

Na nossa perspectiva, a atribuição de Líderes para esses casos está muito longe da verdade, pois jamais o nobre significado da palavra Líder deveria ou poderia ser fatalmente manchado usando-o para definir os lamentáveis exemplos citados acima.

As definições corretas para esses personagens, e outros da mesma estirpe, não são de Líderes, mas de genocidas, ditadores, traficantes, assassinos, bandidos, corruptos, … Isto é, pessoas que encarnaram o mal e que, no caso dos empresários, geraram imensos prejuízos e sofrimentos e, no caso dos políticos, resultaram na morte de milhões e na destruição da liberdade, do futuro e da esperança de muitos outros.

Dito isso, não podemos conceber que o termo Líder esteja desconectado dos bons e universais valores e princípios da humanidade.

Outra importante observação que pode ser retirada das definições do Google e do Michaelis é que, em nenhum momento, a palavra Resultado é citada. Esse detalhe, como veremos a seguir, é crítico para a nossa definição de Líder.

Para nós da Companhia de Líderes, de forma simples e direta, o Líder é alguém que, através do seu Exemplo, Influência, Conhecimento, Escolhas e Decisões sobre as Pessoas que ele se relaciona e o seu Grau de Responsabilidade, e dentro do seu Círculo de Influência, deixa um Legado Nobre que se perpetua no tempo.

Em outras palavras, um Líder é um Gerador de Legados de Resultados Nobres, Positivos e Sustentáveis!

Nesse momento é importante destacar que esse Legado Nobre só é alcançado porque o Líder tem um Propósito Nobre para a sociedade, a sua vida e o seu trabalho, ou seja, ele possui a consciência e o compromisso inabalável com um Propósito Nobre que antecede a geração de um Legado Nobre.

Mas alguém, lendo esses comentários e essa definição, pode pensar e questionar: “Então um Líder é um ser perfeito, imune a erros. Ou seja, o Líder, nessa sua definição, simplesmente não existe!”

A resposta é também simples e direta: Não, e explicamos o porquê!

Como todo ser humano, o Líder também erra e às vezes erra muito. No entanto, os seus acertos e, principalmente, o seu Propósito e Nobre Legado é muito superior a somatória de todos os seus erros e enganos!

Vejamos alguns exemplos:

Considerando o Círculo de Influência sobre nações inteiras e/ou a própria humanidade, podemos considerar como Líderes Políticos personagens como: Abraham Lincoln, Nelson Mandela, Mahatma Gandhi, Winston Churchill, João Paulo II e alguns outros. Mais recentemente podemos destacar a Malala Yousafzai.

Considerando a amplitude de influência no mundo dos negócios, temos muitos Líderes Empresariais que deixaram, e/ou ainda estão deixando, Legados impressionantes para a humanidade, como Henry Ford (Ford), Jack Welch (GE), Steve Jobs (Apple), Bill Gates (Microsoft), etc. Ultimamente temos o Elon Musk (Tesla) e o Jeff Bezos (Amazon). 

Se focarmos num Círculo de Influência mais restrito, como por exemplo a Família, podemos perfeitamente afirmar que eu e/ou você, se estivermos atendendo aos requisitos citados, ou seja, se estivermos deixando um Legado Nobre, Positivo e Sustentável, através das nossas ações e da formação dos nossos descendentes, podemos, com certeza, nos considerarmos Líderes.

Com essas explicações, podemos agora fazer mais algumas perguntas e reflexões:

  1. Tente identificar um Líder, reconhecido publicamente, que NÃO tenha gerado um Resultado Nobre, Positivo e Sustentável, também de reconhecimento público?

Resposta: Na nossa opinião, esse Líder simplesmente não existe, pois um Líder precisa, indispensavelmente, gerar Resultados Nobres, Positivos e Sustentáveis.

  • Qualquer pessoa pode ser um Líder?

Resposta: SIM, desde que atenda o requisito já mencionado, ou seja, de ser um gerador, dentro de um dos seus Círculos de Influência, de Resultados Nobres, Positivos e Sustentáveis!

  • Pessoas em posição de autoridade podem se tornar Líderes?

Resposta: Com certeza, pois basta elas atenderem o requisito já citado. Aliás, essas pessoas apresentam uma grande vantagem sobre as demais, pois elas tem à sua disposição o poder formal para facilitar o seu trabalho. Infelizmente, muitas vezes não é isso que acontece e explicaremos o porquê disso nos próximos artigos.

  • Muitas pessoas são reconhecidas, promovidas e até mesmo colocadas em posição de Liderança por alcançarem resultados pontuais e momentâneos. O que dizer desses casos?

Resposta: Infelizmente isso acontece e de forma muito frequente! No nosso entendimento, isso se deve a característica de sociedade ocidental de focar nos resultados de curto prazo e de muitas vezes não querer ver e analisar as consequências, no longo prazo, de certas ações.

  • Por que enfatizar tanto o Círculo de Influência?

Resposta: Todos nós temos um ou mais Círculos de Pessoas onde podemos influenciar. É dentro desses Círculos que a nossa Liderança pode fazer a diferença, ser proativa e, consequentemente, fazer acontecer, ou seja, gerar Resultados Nobres, Positivos e Sustentáveis.

Vejamos um exemplo: Um Pai de Família pode atuar junto aos membros da sua família, na Igreja ou Comunidade que ele participa e, em sendo um Supervisor na empresa onde trabalha, ele poderá atuar diretamente na sua Equipe. Nesse exemplo, esse indivíduo participa de três Círculos de Influência distintos. É importante destacar que ele pode ser considerado um Líder em um desses Círculos e não em outro, ou seja, a sua efetividade como Líder pode ser diferente nos três Círculos mencionados.  

Para finalizar, queremos novamente enfatizar que, na nossa definição, um Líder é um Gerador de Legados de Resultados Nobres, Positivos e Sustentáveis!

Esperamos ter esclarecido a 1ª Pergunta: “O que vem a ser um Líder?”

Continuaremos respondendo as demais perguntas listadas acima nas próximas edições deste Artigo, mas, se até lá, você tiver alguma dúvida, favor não hesite em colocá-las.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *