Período Sabático como recurso para o desenvolvimento pessoal e profissional

Período Sabático como Recurso Para o Desenvolvimento Pessoal e Profissional

O mercado de trabalho nunca esteve tão competitivo como nos dias de hoje!

Estamos em um momento em que somente os profissionais mais motivados e que melhor se adaptam serão capazes de permanecer nas organizações.

Ou seja, as empresas exigem colaboradores que entregam resultados!

Nos dias de hoje, o colaborador esta em ambientes que exige de si constante evolução e melhoria, cresce a necessidade de redobrar o esforço para demostrar seu valor no mercado de trabalho de modo que não seja visto apenas como mais um.

Para tal, este tem de agregar valor a si e só assim é capaz de posicionar-se como referência em sua área.

As mudanças são sinónimo de transformações, se forem orientadas ao crescimento, permitirão uma escalagem que resulta em desenvolvimento.

Podemos concordar que não as espécies mais fortes ou mais inteligentes que sobrevivem e sim as que melhor se adaptam as mudanças.

A orientação do crescimento em busca de desenvolvimento retrata a perceção individual, pois quando o colaborador se mantém focado em atingir altas performances torna-se alguém de valor, passando assim, a maximizar seus resultados.

O profissional atual tem como missão o crescimento pessoal, de modo a garantir seu crescimento profissional, pensando não somente em uma estabilidade financeira, mas numa visão “futura” de si.

Recentemente, uma empresa brasileira (BCMED) foi certificada como uma das melhores para se trabalhar no Brasil. Esta que foi criada a menos de 10 anos, tornou-se referência pelo seu robusto facturamento anual. Ressaltar que para trabalhar nesta empresa os colaboradores devem ter sonhos de crescimento a nível de desenvolvimento pessoal e profissional.

É interessante a perspetiva da BCMED ao ressaltar a necessidade que seus colaboradores tenham sonhos de crescimento pessoal e profissional, uma vez que olham para o colaborador como parceiro estratégico.

Tendo ganho o certificado Great Place To Work em 2021, com a aprovação de 82% dos colaboradores, tiramos as seguintes lições:

  • É valioso que os colaboradores tenham sonhos e almejem crescimento individual;
  • A valorização e consideração destes sonhos individuais para o colaborador faz com que este sinta que é importante para a organização.

Quando o funcionário traz consigo uma perspetiva de progressão a longo prazo, passa a ter clareza de onde almeja chegar.

E são estes colaboradores que olham para empresa, não apenas como um meio para pagar suas contas, mas num local para desenvolver e melhorar suas habilidades continuamente, o que se traduz em benefícios não só financeiros, mas também em capital intelectual que adiante poderão traduzi-lo como valor no mercado.

Enquanto as empresas e os gestores de recursos humanos certificam-se do incentivo no desenvolvimento dos colaboradores a nível pessoal e profissional agregando valor a organização, a implementação de períodos sabáticos dentro dos planos de carreiras de seus funcionários, poderá ser período o aprendizado em novas áreas e quem sabe, a busca por novos interesses seria um aliado na melhoria de sua criatividade.

Não se trata apenas das organizações disponibilizarem estes períodos, mas que compreendam a sua relevância e sejam capazes de aproveitar este tempo de forma inteligente.

O período sabático não é traduzido como férias e sim uma oportunidade de crescimento pessoal!

E então quando pensar em fazer seu período sabático, exija de si:

  • Aprender novas habilidades, como por exemplo um novo idioma;
  • Experimentar uma nova atividade, pois o obriga a sair de sua zona de conforto;
  • Implementar um projeto pessoal ou colaborar em outros, cujo motivação não seja financeira, sendo que o foco nesse período é seu desenvolvimento pessoal.

Lembrar que:

Seu desenvolvimento pessoal reflete no seu desenvolvimento profissional e se usar o período sabático de forma adequada pode ser um grande aliado na sua jornada.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

3 respostas

  1. Muito útil e interessante.
    Principalmente a parte que refere que as empresas devem impulsionar a necessidade dos trabalhadores que tenham sonhos pois as empresas devem ver os seus trabalhadores como parceiros estratégicos.
    Acredito que um trabalhador sem sonhos de desenvolvimento pessoal e profissional talvez esteja apenas preocupado e movido pelo salário. E não em ser o melhor profissional e adquirir novas habilidades cada vez mais.
    Ser apenas movido pelo salário pode se tornar perigos numa perspectiva em que o trabalho não envolve amor pelo que faz não se compromete com o desenvolvimento mas talvez apenas com a estabilidade financeira caindo assim na conformismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *