Desenvolvimento de pessoas na área da saúde

Desenvolvimento - comunicaRH

O desenvolvimento de pessoas na área da saúde se faz com um ambiente natural de aprendizagem na Organização.

Treinar, capacitar e desenvolver pessoas nunca foi sinônimo de sala de aula, ainda mais com as transformações ocorrida nos últimos 2 anos, as organizações terão que desenvolver mecanismos de aprendizagem que contemple o dia a dia do profissional, isso acontece quando a empresa consegue criar uma sinergia de aprendizagem na Organização.

O papel de Desenvolvimento de pessoas é plantar a semente do aprendizado, é responsabilidade de todos na Organização semear, cuidar e fazer dar frutos, esses frutos é que cria um ambiente natural de aprendizagem que faz toda a diferença para a área da saúde.

É importante também que a alta direção tenha um discurso alinhado com a pratica, o exemplo tem que partir de cima, (dos líderes), só assim conseguiremos criar um ambiente de confiança e respeito e por consequência o maior engajamento dos nossos profissionais com os objetivos da Organização.

Modelo de Desenvolvimento na Área da Saúde

A proposta que vem demonstrando eficiência na saúde é o formato integral de Treinamento e Desenvolvimento conforme segue:

  1. Desenvolvimento Técnico – são capacitações, treinamentos e reciclagens, focando técnicas profissionais e padronização de procedimentos nas áreas de apoio e assistenciais como:  enfermagem, tecnólogos em saúde, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas e etc.
  2. Desenvolvimento Administrativos – são capacitações, treinamentos e reciclagens para tudo que não envolva as questões técnicas das áreas assistenciais (citado no item “a”. O foco é recepção, atendimento, domínio do sistema de gestão utilizado na organização, ferramentas da qualidade (Fluxogramas, Tabela 5W1H, Descrição de Procedimentos, Instruções de trabalho, Politicas, Indicadores de desempenho e padronização de templates), gestão de risco, etc…
  3. Desenvolvimento comportamental – desenvolver ciclos de encontros com dinâmicas vivenciais nas equipes e entre equipes, focando relacionamento interpessoal, gestão de conflitos, desenvolvimento de liderança e os aspectos intangíveis das equipes.

Ilustração do Modelo

É importante ressaltar que este Modelo tem que estar totalmente conectado com o planejamento Estratégico e a “Causa” da Organização, isso significa dizer que é necessário um Programa de Treinamento e Desenvolvimento com definição de prioridades, cronograma de realização, avaliação de reação e eficácia, e desempenho do profissional, para que possa rodar o PDCA – Ciclo de melhoramento continuo deste programa.

Pontos limitadores de sucesso do Modelo Integral de Desenvolvimento de pessoas nas Instituições de Saúde

O grande limitador de sucesso deste Modelo de Desenvolvimento de pessoas e a falta de alinhamento dos líderes nas Instituições, entre o que se ensina (T&D) e o que se prática (dia a dia da Instituição), é crucial a definição de um perfil de líder que se identifica com a causa da Instituição, ou seja, alinhar o discurso e a prática da liderança em todos os níveis da Organização.  Para isso é necessário priorizar a capacitação e reciclagem permanente dos líderes, pois eles mal preparados serão os principais limitadores para o sucesso das ações de Desenvolvimento de pessoas nas Instituições.

O perfil atual do líder gestor exige que ele exerça o papel de facilitador da equipe, mas ressaltando também a necessidade de agir como o condutor das habilidades dos subordinados e para isso é necessário que saiba ouvir, sentir o clima da sua equipe, quando isso não ocorre, o dano pode ser irreparável, tendo em vista que os líderes são os principais multiplicadores das ações de Desenvolvimento nas Organizações.

Conclusão

Ter um Programa de Desenvolvimento bem estruturado e eficaz é uma necessidade para as Instituições de Saúde, tendo em vista as especificidades apontadas neste artigo e o olhar cada vez mais focado nas questões sustentáveis do segmento da saúde.

O Desenvolvimento de Modelos em Gestão eficientes e de alta tecnologia na saúde vem fortalecendo e garantindo resultados mais sustentáveis, possibilitando a oferta de uma assistência de melhor qualidade, alcançando o maior número da população.

Diante deste ponto de vista as organizações de saúde vêm investindo mais em desenvolvimento de pessoas, focando os fatores racionais e valorizando mais os fatores sócioemocionais, estrutura essa que promove e consolida a cultura e o bom clima dentro das organizações.

Cada vez mais é exigido não só o esforço físico, como o mental do profissional de saúde, ou seja, inteligência emocional, que é a capacidade do indivíduo em lidar com as próprias emoções, afinal relacionar-se com uma diversidade de pessoas e emoções diariamente é o grande desafio desses profissionais.

A área da saúde não sobrevive sem o binômio pessoas/tecnologia, cada vez mais investem em pesquisas, a inovação na saúde é o grande desafio a ser superado, diante deste cenário necessitamos de profissionais diferenciados, bem preparados e que acompanhem esta evolução. 

Desenvolvimento de pessoas vem garantindo a eficiência deste crescimento e avanço na área da saúde seja nos aspectos técnicos e comportamentais, o mundo corporativo enxerga os recursos humanos como o principal fator de sucesso nas organizações, na saúde não é diferente pois o relacionamento e comportamento humanos define o sucesso do seu produto principal que é o acolhimento, o cuidado e a eficácia no atendimento aos nossos pacientes.

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.