TAKE 6 – COM PRESENTES E BOLOS…SE ENGANAM OS TOLOS

TAKE 6 COM PRESENTES E BOLOS…SE ENGANAM OS TOLOS

O PINOTEProjeto Inovação Organizacional Task Emporwerment era motivo de conversas mais formais, mas essas não tinham grande interesse exatamente por serem oficiais, legitimadas e povoadas de planos de ação aborrecidos e estéreis. Não eram fecundos porque a Dra. Benedita foi enviada para a batalha da sua vida, era o líder…mas não tinha exercito, ou melhor, tinha mas não era propriamente um conjunto de guerreiros bravos e corajosos, qual parada romana, pareciam mais um grupo de camponeses cujas forquilhas definhavam assim que viam um campo para desbravar.

Neste universo de metáforas militares, no entanto era de salientar a estratégia grandiosa do Diretor de Operações – Coronel Patente Elevada, homem de semblante fechado e punho pesado, a avaliar pelo numero de murros na mesa e ideias titânicas que já tinha alvitrado, mesmo quando não lhe era pedido, eram constantes atos de bravura (na sua exclusiva opinião), que solidificavam o medo que inspirava, mas este facto não o incomodava, há que manter o respeito e colocar disciplina nas “tropas”- dizia sempre enquanto unia os pés e erguia repetidamente os calcanhares numa espécie de sapateado sincronizado que irritava os mais fleumáticos observadores.

O relógio da sala de reuniões marcava 14.29 e já estava sentado a rigor o Coronel aguardando a entrada do Rodrigo Janota da Cunha e da Benedita para um encontro (mais um) que tinha como objetivo fazer um ponto de situação do PINOTE. Onde estávamos para onde íamos? – Estas questões de retorica e fraturantes, rodopiavam semanalmente nesta mesma sala, à mesma hora e ainda não tinham a dar-lhes suporte um raio de um mapa, de um GPS, e essa era a melhor explicação para não terem chegado a lugar nenhum, ou quando arrancavam pareciam aqueles condutores, com uma falta de sentido de orientação gritante, que em desespero disfarçado, dizem sempre “agora é que é! conheço esta estrada, tenho um feeling que é por aqui…” e nunca é!

O projetor cuspia uma iluminada folha de Excel com ações, prazos e responsáveis pelas mesmas, e 80% estavam identificadas com um amarelo vistoso onde se lia “em implementação”, as restantes 20% exibiam um encarnado descaradíssimo a gritar “importam-se de iniciar pois o atraso é grande”!

– Mas por que razão ainda não temos o plano de regresso ao escritório? Já chega de bela vida de teletrabalho, não acha Dra. Benedita? Temos de fazer regressar as pessoas, qualquer dia não querem vir e depois quero ver…já temos todas as medidas de segurança, é virem e começarem a trabalhar à seria! – O Coronel parecia tomado pela poção do caldeirão onde tinha caído o Asterix, só isso explicava aquela energia frenética, mas dilacerante…

– Sabe que temos de avaliar a rotação de equipas em espelho, rever o layout do escritório e acresce que nalguns casos existem exceções legais que temos de considerar…e o tema de um modelo hibrido pode motivar as equipas e tornar-nos mais adaptáveis à nova realidade que as empresas enfrentam.- A Diretora de Recursos Humanos falava num tom calmo e conciliador, mas sabia que esta panaceia de criar um ambiente propício ao diálogo, podia não evitar o tsunami…

– E se comprássemos um presente para oferecer a cada pessoa no seu regresso…pensei num saco de praia com uma almofadinha insuflável, tudo muito giro levar para a praia e claro que tudo com o nosso logo, assim fortalecemos a lealdade e ligação á empresa, parece-vos bem? – O Rodrigo Janota ajeitava a melena de cabelo, enquanto aguardava os aplausos pela sua brilhante iniciativa de “ branding” e baratinha!

– Mas estamos em Setembro, a época balnear esta a acabar e é o regresso ao trabalho…de facto tinha em mente um presente mais “digital” uns headphones e um carregador de viagem 4 USB. – A Benedita continuava da sua missão de conquistar o desconhecido, qual Vasco da Gama na descoberta do caminho marítimo para a India…

– Nem um tostão para presentes, isso sim! Sugiro que não estrague o efetivo com essas frivolidades, e reveja mas é os horários, porque agora há que os por a dar tudo por tudo, meses em casa, e agora voltam e ainda levam com sacos de sarapilheira, almofadinhas e auscultadores? Tem é que se concentrar nas tarefas ou ainda ficam mal habituados. – O Coronel inflamado pelas suas palavras sábias, batia com o dedo indicador sobre o tampo na mesa, e ajeitava as óculos como se tivesse possuído por a tal poção magica…

Da sala contígua surge, qual Deusa do espanador a Joaquina, e sem pedir licença, desata a limpar o pó das prateleiras de livros técnicos – Ora se querem dar ofertas uns pãezinhos com chouriço quentes e um pão-de-lo isso é que era e todos enchiam a barriguinha…a melhor forma de conquistar é pelo estomago…nem parece que andaram a estudar, não sabem nada desta vida…! Aprendam com a Joaquina!

Foi o momento mais carismático desta reunião, e terminou com o Coronel a convidar a Benedita a despedir “esta senhora sem maneiras”!

Lançamento do Livro – FAÇO O PINO SE A EMPRESA DANÇAR O TANGO

Take 5 – Uns dias da caça outros do caçador!

Take 4 – Quem semeia ventos colhe correntes de ar…ou não!

Take 3 – À mulher de Cesar não basta sê-lo…

Take 2 – A fábula da Centopeia

Take 1 – A bordo que é de bordo

Artigos Recentes

Partilhe este artigo...

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *